Tipos de cultura organizacional: entenda a relação com inovação

Em um mercado cada vez mais competitivo e pessoas que procuram por organizações mais flexíveis. Assim, é preciso conhecer os tipos de cultura organizacional e qual a relação deles com a inovação.

Isso porque é essencial olhar para a inovação ao mesmo tempo em que se olha para os processos, pessoas e outros aspectos que envolvem a manutenção de um negócio que deseja crescer com qualidade e diferencial.

Por isso, criamos este artigo para te ajudar a entender os tipos de cultura organizacional e como melhorar a sua visão estratégica conhecendo os principais. Continue a leitura deste artigo e entenda.

Relação entre inovação e os tipos de cultura organizacional

Para que possamos entender os tipos de cultura organizacional, primeiro é preciso entender o conceito de cultura, que é a junção de hábitos, comportamentos e práticas que em conjunto orientam o trabalho das pessoas envolvidas.

Ou seja, os papéis são bem definidos, as pessoas qualificadas e os processos bem alinhados com as estratégias do negócio. Nesse cenário, a inovação é essencial para os momentos em que seja necessário mudar algum desses aspectos.

Mais do que adotar uma nova tecnologia, a relação entre os tipos de cultura organizacional e a inovação se dá na criação de práticas e valores compartilhados que favorecem atitudes inovadoras, tanto interna quanto externamente.

Por isso, é necessário construir diariamente um ambiente de colaboração e multidisciplinaridade, onde todos os profissionais consigam atuar sob a mesma ótica ao longo do tempo, principalmente porque este não é um processo simples.

Quais são os tipos?

Entre os tipos de cultura organizacional, existem vários modelos que abrangem aspectos do comportamento corporativo, mas iremos destacar aqui os quatro principais, cunhados pelo escritor e filósofo Charles Handy na metade do século XX.

O autor delimitou quatro categorias distintas, que são:

Cultura de pessoas

É claro que dentro da primeira categoria não pode faltar as pessoas, pois são os colaboradores que mantêm o funcionamento da organização e, por isso, precisam ser vistos como o ponto-chave de uma cultura de excelência.

Com este que é um dos tipos de cultura organizacional acontece uma integração maior entre as equipes, que contam com uma gestão de talentos que visa o crescimento exponencial dos profissionais.

Além disso, é uma cultura que dá margem para sugestões e ideias que potencializam os planos de carreira, formando relacionamentos mais duradouros tanto internamente quanto externamente, proporcionando a descentralização da hierarquia e, consequentemente, um trabalho mais auto gerenciável.

Assim, o crescimento da empresa tende a atrair e reter talentos, aumentando as vantagens competitivas e agregando mais valor ao negócio, além de respeitar a qualidade de vida dos colaboradores.

Cultura de tarefas

Outro dos tipos de cultura organizacional diz respeito às tarefas, que devem ser bem definidas a ponto de contar com profissionais específicos para cada uma, fazendo com que as atividades tenham mais agilidade e o seu máximo desempenho.

Com isso, as tarefas tornam-se mais efetivas, contribuindo para a liberdade de expressão e ações, garantindo um ambiente motivador e direcionando o foco dos colaboradores para a resolução dos problemas.

Contudo, é importante entender que o controle e monitoramento neste tipo de cultura é um pouco mais desafiador, pois o sucesso das atividades nem sempre terá um acompanhamento, já que há mais autonomia dos colaboradores.

Cultura de poder

Já neste outro modelo entre os tipos de cultura organizacional, as empresas possuem um foco muito maior na geração de resultados, centralizando as decisões em uma estrutura bem definida de liderança.

Dessa forma, os colaboradores são estimulados a competirem entre si e alcançarem determinados objetivos, o que geralmente atribui muita responsabilidade e poder à figura do dono do negócio, que pode acumular muitas funções.

Portanto, existe um limite no crescimento e desenvolvimento das pessoas e da própria empresa, mesmo com uma estrutura clara e bem definida de hierarquia.

Cultura de papéis

O último exemplo dos tipos de cultura organizacional que gostaríamos de destacar é a cultura de papéis, que foca no desempenho das funções de cada profissional dentro da empresa, o que exige uma estrutura hierárquica bem definida.

Assim como na cultura de poder, também há impedimentos quanto à flexibilidade das tarefas, já que existem regras bem definidas e claras quanto aos papéis que devem desempenhar e as eventuais expectativas sobre eles. Assim, um ponto importante como a inovação, pode não ter o espaço devido, afetando o crescimento da empresa.

É claro que em todos esses cenários, contar com uma empresa especializada pode garantir resultados ainda maiores.